Frateschi faz resgate histórico de locomotiva da Rumo

A Frateschi, única fabricante de trens elétricos em miniaturas e réplicas de composições reais na América Latina, com sede em Ribeirão Preto, no interior paulista, lançou, neste mês, uma nova versão da locomotiva AC44i, a sexta da empresa, desta vez fazendo um resgate histórico e estampando a antiga pintura da concessionária Rumo Logística, que opera nos Estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, com mais de 12 mil quilômetros de linhas férreas. O lançamento ocorre justamente no ano em que a empresa completa cinco décadas de atuação no mercado.

A locomotiva AC44i foi lançada em julho de 2015 em quatro diferentes pinturas, com as marcas das concessionárias MRS, Rumo, ALL e VLi. No ano passado, a Frateschi lançou uma com a marca da Brado. “Agora, resolvemos fazer um resgate histórico e colocar no mercado a primeira pintura da locomotiva Rumo, muito bonita, chamativa e atraente ao ferreomodelista e ao colecionador”, explica o diretor da empresa, Lucas Frateschi.

A AC44i real é de grande porte e fabricada em Contagem (MG) pela GE Transportation, com um índice de nacionalização de 63% dos componentes utilizados. “Ela é uma máquina diesel-elétrica de corrente alternada, que entrega uma potência de 4.500 hp e possui 195 toneladas. É a locomotiva mais importante da malha ferroviária nacional e utilizada no transporte das mais diversas commodities, como açúcar, soja, minério de ferro, óleo, bauxita, entre outras”, diz Frateschi.

Atualmente, 20,7% da matriz modal no país refere-se ao meio ferroviário, e segundo o Ministério do Transportes, deverá chegar a 35% em 2025, superando em cinco pontos percentuais o rodoviário.

A réplica da AC44i Fase 1, da Rumo, já pode ser encontrada na loja virtual da empresa (www.frateschi.com.br) e também nas revendedoras espalhadas pelo Brasil. Em seus 50 anos, a Frateschi já fabricou cerca de 150 locomotivas.

Sobre a Frateschi

Fundada em 1967, a Indústrias Reunidas Frateschi é a única fabricante da América Latina de trens elétricos em miniaturas e réplicas de composições reais. Situada em Ribeirão Preto, no interior paulista, tem a missão de divulgar e preservar a memória ferroviária do Brasil, por meio da prática do ferreomodelismo. Prestes a completar 50 anos neste mercado, a empresa tem a convicção de que importantes relações humanas, como a interação entre pai e filho, avô e neto e amigos, são fortalecidas em momentos descontraídos durante a prática deste hobby.

Com atuação nacional e internacional, a Frateschi possui representantes nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Goiás, Mato Grosso do Sul, Bahia, Ceará e Pernambuco, além do Distrito Federal. No exterior, seus representantes estão na Argentina, Chile, Uruguai, Austrália, Nova Zelândia, Rússia, Suíça, África do Sul e Taiwan.

Mais informações podem ser obtidas no site www.frateschi.com.br

Paulo Viarti
F2 Assessoria de Imprensa

Publicado em Locomotivas e vagões | Comentários desativados

Galeria de fotos da 3ª Mostra de Modelismo Ferroviário de Curitiba

Crédito das fotos: José Balan Filho, Carlos Carareto, Edson Nagy, Luiz Augusto Pelisson e Alexandre Antoniutti.

Publicado em Locomotivas e vagões, Maquetes e dioramas | Comentários desativados

Escola em escala HO produzida pela NVM Hobbies

A NVM Hobbies (nvmhobbies.com.ar) está produzindo esta escola que tem as medidas 13,6 x 16,2 x 6,2 cm.

O kit para montar é fabricado em MDF cortado a laser, e vem manual detalhado de instruções. O código do produto é HA014, e pode ser enviado para o Brasil. O preço sem a taxa de envio é de 499 pesos argentinos.

As formas de pagamento e de envio podem ser acertadas por e-mail com Fabian: fgiugge@hotmail.com

Publicado em Maquetes e dioramas | Comentários desativados

Frateschi lança vagão nas cores da VLI

A Frateschi, única fabricante de trens elétricos em miniaturas e réplicas de composições reais na América Latina, com sede em Ribeirão Preto, no interior paulista, lançou, neste mês, uma nova versão do vagão de carga HFT, agora com a logomarca da concessionária VLI, que administra ferrovias, terminais e portos e está presente em nove Estados e no Distrito Federal.

Este é o sexto vagão deste modelo produzido pela Frateschi, que já havia colocado no mercado vagões com as marcas das concessionárias MRS, ALL e Rumo Logística. A novidade (com a codificação 2040 do fabricante) estará disponível nas revendedoras espalhadas por todo o Brasil, e também no site da empresa: www.frateschi.com.br

A VLI é uma empresa de soluções logísticas que engloba as ferrovias Norte Sul (FNS) e Centro-Atlântica (FCA), além de terminais intermodais, que unem o carregamento e o descarregamento de produtos ao transporte ferroviário, e terminais portuários situados em eixos estratégicos da costa brasileira, tais como em Santos (SP), São Luís (MA) e Vitória (ES).

Sobre a Frateschi

Fundada em 1967, a Indústrias Reunidas Frateschi é a única fabricante da América Latina de trens elétricos em miniaturas e réplicas de composições reais. Situada em Ribeirão Preto, no interior paulista, tem a missão de divulgar e preservar a memória ferroviária do Brasil, por meio da prática do ferromodelismo. A empresa tem a convicção de que importantes relações humanas como a interação entre pai e filho, avô e neto e amigos são fortalecidas em momentos descontraídos durante a prática deste hobby.

Com atuação nacional e internacional, a Frateschi possui representantes nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Goiás, Mato Grosso do Sul, Bahia, Ceará e Pernambuco, além do Distrito Federal. No exterior, seus representantes estão na Argentina, Chile, Uruguai, Austrália, Nova Zelândia, Rússia, Suíça, África do Sul e Taiwan.

Mais informações podem ser obtidas no site www.frateschi.com.br

Paulo Viarti / Fabiana Freitas
F2 Assessoria de Imprensa

Publicado em Maquetes e dioramas | Comentários desativados

Instalando micro-lâmpadas nos ditch lights da locomotiva AC44i Frateschi

Existem duas opções para iluminação de ditch lights (faróis auxiliares): o led CMS e a micro-lâmpada. O led CMS na configuração da foto exigiria adaptação para entrar no minúsculo espaço dos ditch lights da locomotiva AC44i Frateschi, por isso optamos pela micro-lâmpada, que se encaixou perfeitamente no espaço antes ocupado pelo prisma original.

A locomotiva AC44i Frateschi, na qual instalamos as micro-lâmpadas, está equipada com um decoder da marca LDH. Não aconselhamos usarem estas micro-lâmpadas no modo analógico porque, com a oscilação de voltagem e corrente, a durabilidade dessas lâmpadas é muito comprometida.

O primeiro passo é remover o prisma original, que ilumina (muito pouco) os ditch lights (faróis auxiliares) por condução óptica. Esse prisma só existe para os ditch lights dianteiros na locomotiva Frateschi; os traseiros não são operacionais. A remoção deste prisma é relativamente difícil, pois vários ferromodelistas o quebraram durante a remoção, o mesmo acontecendo conosco. Como o objetivo é instalar as micro-lâmpadas, isso não fez diferença.

As micro-lâmpadas utilizadas tem diâmetro de 1,2 mm, e são de 1,5 Volt e 15 mA.

Nós retiramos os ditch lights, mas é desnecessário. Uma das “perninhas” de encaixe sempre quebra na retirada, pois esta é colada na fábrica, até para evitar a perda deste minúsculo componente.

O manual do decoder indica colocar um resistor de 1000 ohms antes de ligar um led na função F3 ou F4. Verifique qual “perninha” é a positiva do led. Se você tem duvida, use uma bateria de 3 volts, dessas de placa mãe de computador. O led não queima se for ligado invertido, apenas não acende. No caso da lâmpada ela não tem polaridade e não faz diferença.

Colocamos os resistores de 1000 ohms, um para cada lâmpada ligados no comum positivo das funções. Experimentamos resistores de 1000 ohms com várias amperagens, mas mesmo com amperagem suficiente para as duas lâmpadas, foi necessário um resistor para cada lâmpada. Um resistor comum às duas não funcionou.

Os resistores ficaram virados para trás para se acomodarem melhor dentro da carcaça.

Publicado em Locomotivas e vagões | Comentários desativados